Pular para o conteúdo principal

Green Day promove celebração em SP em show para a geração 2.0

Apresentação foi fundo no caráter participativo e teve fã cantando 'Longview'.
Repertório de três horas incluiu hits recentes e clássicos como 'Basket case'.




 

A banda californiana de punk rock Green Day encerrou na madrugada desta quinta-feira (21), em São Paulo, sua primeira turnê no país depois de 12 anos. Um dos maiores nomes do gênero no mundo, o trio liderado pelo cantor e guitarrista Billie Joe Armstrong fez uma apresentação de quase três horas, para um público de 20 mil pessoas no Anhembi, em que repassou os principais sucessos de sua carreira, com faixas dos mais recentes "21st century breakdown" (2009) e "American idiot" (2004) aos já clássicos "Dookie" (1994) e "Nimrod" (1997).
O vocalista do Green Day segura uma bandeira do Brasil durante show em São Paulo: 'Meu nome é Billie Joe Armstrong. E eu não sou da Argentina', brincou 
O vocalista do Green Day segura uma bandeira do Brasil durante show em São Paulo: 'Meu nome é Billie Joe Armstrong. E eu não sou da Argentina', brincou (Foto: Flavio Moraes/G1)
Sem grandes variações em relação aos repertórios dos shows em Porto Alegre, Rio de Janeiro e Brasília, o show manteve o espírito festeiro das outras apresentações desta turnê. "Mas isso não é uma festa, é uma celebração", corrigiu o vocalista logo no início do espetáculo, por volta das 21h40 de quarta. "Esse é o nosso último show no Brasil, e nós sempre guardamos o melhor para o final", bajulou Billie Joe, que como já havia feito no Rio, rasgou elogios à cidade e até "prometeu" se mudar para cá. "Odeio a América, nós vamos mudar para São Paulo."
Também como nos outros shows, os músicos apostaram o tempo todo na interação com o público paulistano. Já na terceira faixa - "Know your enemy" -, o cantor chamou um fã ao palco e o incentivou a mergulhar de volta na plateia. Em outro momento, escolheu uma garota para subir e lascou-lhe um beijo na boca. E, no exemplo mais perfeito do show 2.0 do Green Day, Billie Joe cedeu o microfone a um fã escolhido ao acaso e deixou que ele levasse do começo ao fim os vocais do hit "Longview", um dos maiores sucessos do álbum "Dookie".
"Esse foi o melhor cantor de toda a turnê. Melhor que na Inglaterra, melhor que na América, melhor que na Venezuela ou na Colômbia, melhor que na Alemanha, melhor do que na droga da Escandinávia", brincou o cantor, vestindo uma camiseta arremessada ao palco onde se lia a palavra "Stupid" com uma seta apontada para sua cabeça. Como retribuição, entregou ao fã-cantor a guitarra com que tocou a música, deixando enciumados os outros 19.999 mil discípulos no Anhembi.
Green DayVocalista chamou o público a cantar as músicas e subir ao palco em diversos momentos do show no Anhembi (Foto: Flavio Moraes/G1)
Como bem frisou Billie Joe, o show teve muito mais um caráter de celebração em torno da história da banda - formada há 23 anos em Berkely, na Califórnia - do que propriamente um trabalho levado a sério. Amparados em outros músicos de apoio que os acompanham em turnê, ele, o baixista Mike Dirnt e o baterista Tré Cool se permitiram, por vezes, esquecer os instrumentos e até parar músicas no meio para brincar com o público. Cocar de índio, perucas, óculos espalhafatosos, sutiã, jatos de água na plateia, tudo num climão de fim de festa de casamento.
O baterista Tré Cool, que chegou a usar peruca, óculos e sutiã em determinado momento do show do Green DayO baterista Tré Cool, que chegou a usar peruca,
óculos e sutiã em determinado momento do show
do Green Day (Foto: Flavio Moraes/G1)
Em outros momentos, transformaram-se eles próprios em fãs e executaram pequenos medleys com trechos de músicas de alguns de seus próprios ídolos. O primeiro deles teve "Iron man", do Black Sabbath, "Rock'n'roll", do Led Zeppelin, "Sweet child o'mine", do Guns'N Roses, "Highway to hell", do AC/DC. No segundo, apareceram "Shout", dos Isley Brothers, "Satisfaction", dos Rolling Stones, e "Hey Jude", dos Beatles.
Depois de duas horas e quarenta de farra, Billie Joe assumiu um violão acústico ao final do show para tocar as três últimas faixas do show - as baladas "Whatsername", "Wake me up when September ends" e "Good riddance (Time of your life)", cantadas aos prantos por meninas que possivelmente nem eram nascidas quando a banda estourou com as anfetaminadas "Basket case" e "She".
Responsáveis, junto com Offspring e Rancid, por ressuscitar o punk rock depois da onda grunge que contagiou os adolescentes no início da década de 1990, o Green Day do século 21 pode até ser uma sombra do que já foi no "século passado", mas mesmo com algumas rugas a mais na cara e a maquiagem toda borrada, a banda provou em São Paulo que ainda tem pique de sobra para festa. Ou, como prefere Billie Joe, para "celebração".
Confira a seguir, o repertório completo da apresentação no Anhembi:
- "Song of the century"
- "21st century breakdown"
- "Know your enemy"
- "East Jesus nowhere"
- "Holiday"
- "Nice guys finish last"
- "Give me novacaine"
- "Letterbomb"
- "Are we the waiting"
- "St. Jimmy"
- "Boulevard of broken dreams"
- "Burnout"
- "Geek stink breath"
- "F.O.D."
- "J.A.R."
- "Stuck with me"
- "Dominated love slave"
- "Paper lanterns"
- "2000 light years ago"
- "Hitching a ride"
- "When I come around"
- "Iron man / Rock'n roll/ Sweet child o'mine/ Highway to hell"
- "Brain stew"
- "Jaded"
- "Longview"
- "Basket case"
- "She"
- "King for a day"
- "Shout / Satisfaction / Hey Jude"
- "21 guns"
- "Minority"
- "American idiot"
- "Jesus of suburbia"
- "Whatsername"
- "Wake me up when September ends"
- "Good riddance (time of your life)"

fonte: g1.com.br

Comentários

  1. Nossa.. já gostei muito de Green Day... Não sabia que eles passaram por aqui... Boa postagem..

    ResponderExcluir
  2. Legal, tenho uma amiga q ama green day

    ResponderExcluir
  3. Deve ter sido bem legal, é uma pena que eu não pude ir!!!!

    acesse tbm: http://circulodf.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ahhh!Billie Joe deu a guitarra? XD Que show fantástico, quero dizer celebração! X)
    Nossa, esse post é para ler no início do dia e passar o restante todo feliz! =)

    Muito bom! Li tudinho! ^^

    Grande abraço!

    http://neowellblog.wordpress.com/nwb-magazine/

    ResponderExcluir
  5. Que legal ver o cara com uma bandeira do Brasil.
    Green Day é uma das minhas bandas prediletas.
    Basket Case, She e uma porrada de sons.
    Longa vida aos caras.

    abç
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  6. Green Day é sensacional!!!
    Como queria ter ido no show, mas n deu... =(
    Adorei o post, meu caro...super bem escrito e informativo.
    Um forte abraço ;)
    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eles são fooda! *-* Gostei daqui seguindo:*

    ResponderExcluir
  8. Eu Fui!

    Estou te seguindo, aguardo retribuição!

    ^^

    http://gibitecalomania.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Deve ter sido um ótimo show.
    Obrigado por seguir o meu blog,já estou te seguindo...
    http://palavrasdopoetamf.blogspot.com/

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  10. Cara passando aqui so para tih dar meus parabéns, pois teu blog está sensacional ^

    ResponderExcluir

Postar um comentário

A partir de agora, estão proibidos os comentários anônimos.

Postagens mais visitadas deste blog

Oficina G3: A melhor banda de rock do Brasil ?!

Oficina G3 é uma banda de rock brasileira que leva aos ouvidos de seus fãs músicas com sonoridade pesada e letras marcantes. Dona de prêmios como o Grammy Latino,  conta com músicos excelentes que fazem o bom e velho rock'n roll de forma marcante.
Eu poderia ser neutro nesse assunto, porém, me sinto no direito de dar minha opinião. (Você não é obrigado a concordar comigo.) Sem dúvidas Oficina G3 é uma das melhores bandas de rock da nossa atualidade. 
Veja o vídeo e tire suas dúvidas:

Desciclopédia: Heavy Metal não é para os fracos

Artigo bem humorado extraído da desciclopédia acerca do Heavy Metal e seus seguidores.Como surge um metaleiro?
A princípio, as pessoas apenas pensam que ele está algum tempo sem tomar banho, ou sem dinheiro pro barbeiro. Mas logo começam a notar sua mudança no estilo de roupas: o nerd passa a usar camisetas pretas com desenhos silkados coloridos e nomes de bandas desconhecidas. Juntando com o cabelocomprido, ele vai lentamente se transformando num ser que teoricamente causa mais medo que um menino feio de óculos. Some-se a isso uma dose pesada de musculação (feita por eles pra agora poder dar porrada nos manosemos e pagodeiro, e playboy, já os emos suas vitimas favoritas, não por mérito do metaleiro, mas pelo fato do emo ficar tão triste com a tentativa do metaleiro de te bater, que acaba cortando os pulsos.), eles tornam-se criaturas quase que aversivas, a não ser para o resto da trupe. Na verdade, ele continua sendo zoado do mesmo jeito - mas agora possui cabelo e as vezes respeit…

Paul Stanley: não é peruca, é Implante Capilar

guitarrista e fundador do KISS, PAUL STANLEY foi perguntado, alguns meses atrás em um artigo para uma revista se ele usava peruca. Paul respondeu que não. Recentemente, Paul tem sido visto pela cidade trajando um novo estilo de cabelo bem curto. Ele fica muito bem assim. Mas olhe bem de perto pras fotos e você poderá ver que Paul de fato tem um tipo de implante capilar no globo. Os sistemas de reposição e implantes capilares de hoje em dia mal são detectáveis e Paul provavelmente está usando um dos melhores que existem. Você não pode culpar Paul por negar que ele usa peruca, afinal, tecnicamente não é uma peruca, é um sistema de aplique capilar. Então tá. Além disso, foi muita grosseria da parte do entrevistador perguntar algo assim, tão pessoal, na caruda para Paul. Eu não sei se essa aterrorizante gravura acima mostrando Paul completamente calvo é verdadeira ou não. De qualquer modo, isso é o que se esperaria que Paul parecesse sem o aplique. Por ter quase sessenta anos de idade, P…