Pular para o conteúdo principal

Brian Welch ex-Korn: "estava viciado e com Deus encontrei uma saída"


O ex-KORN, Brian Welch, que em 2005 optou por abandonar o posto de guitarrista da banda e se converter ao cristianismo, concedeu uma entrevista ao site Backstageaxxess, e abaixo seguem alguns trechos da conversa.

Seu álbum solo "Save Me from Myself" foi lançado em 2008. Como tem sido para você esta experiência?
Welch: "É mais trabalhoso porque estou assumindo os vocais. Na verdade, eu tive de praticar pois estava perdendo o fôlego no palco pois eu estava tentando cantar e tocar. Então tem sido bem legal, é como começar do zero. Estamos tocando em lugares pequenos com por volta de 100 pessoas e é isso. Então definitivamente é diferente do KORN".
O quão diferente é escrever e criar músicas agora em comparação com a época no KORN?
Welch: "Agora é diferente porque na verdade eu escrevo todas as músicas no computador, como em um sintetizador, teclado e por aí vai, e depois eu trago isso para o estúdio onde coloco as guitarras e tudo o mais. Então é muito diferente por não haver pressão pois não há nenhuma gravadora no seu pé pra gravar logo o álbum. É como estar livre para fazer o que quero".
Você possui uma grande devoção ao Cristianismo, e isso te levou a escrever este album. Você pode me contar mais sobre toda a história por trás do processo deste álbum e a conexão dele com sua crença?
Welch: "Foi um longo processo. Eu estava um pouco ligado e desligado. Eu rezei muito, e as músicas vieram até mim. Minha vida inteira é assim, então é como se agora tudo estivesse conectado a isso. E eu simplesmente gosto de compartilhar o que passei através das minhas músicas e ainda manter a vibração pesada, o que eu amo".
Antes de decidir qual seria o tracklist final, você escreveu muita coisa para o "Save Me from Myself." Como conseguiu chegar às 11 músicas e decidir quais se encaixariam melhor na maneira como você queria que o álbum soasse?
Welch: "Eu praticamente escolhi as mais vigorosas e pesadas, eu acho. Eu queria aparecer com uma música mais pesada porque muitas pessoas pensavam que eu lançaria uma 'Kumbaya', no estilo música de Jesus. E eu queria meio que surpreender as pessoas e mais, eu amo música pesada, então escolhi as músicas mais pesadas".
Então você estava indo contra o que as pessoas poderiam pensar?
Welch: "Isso, é o que eu estava tentando fazer. E também, eu amo esse tipo de música, então eu quis manter o primeiro álbum realmente pesado".
Deste disco, qual é a sua música favorita?
Welch: "Pessoalmente eu gosto de 'Re-Bel' porque minha filha canta nela. Amo ouvir vozes de criança em músicas obscura. Gosto de como soa, o contraste da inocência com a escuridão, é assim".
Tem sido questionado se você voltará em algum momento para o Korn. Você pode contar algum de seus planos futuros, e se retornar ao Korn é um deles?
Welch: "Sim, aqueles caras são o máximo. Mesmo após todos esses anos, eles ainda me pedem para voltar. Eu disse a eles que eu realmente não sinto que devo retroceder e quero progredir. Então, simplesmente lançarei outro álbum e continuarei fazendo o que estou fazendo pois é o que amo. Me sinto em paz comigo mesmo".
Então você ainda conversa com o caras do KORN?
Welch: "Sim. Falo com o Fieldy de vez em quando. Eu estava com ele em um projeto pelo baixista do DEFTONES, Chi Cheng que sofreu um acidente de carro e ficou um tempo em coma. Estávamos levantando fundos para ele pois sua companhia de seguro cancelou seu convênio médico. O que estávamos fazendo era levantar dinheiro pra ele".
Alguns dizem que você era a alma e o coração do Korn. Qual foi a verdadeira razão para você ter deixado a banda? Você ainda possui aqueles sentimentos e raciocínios?
Welch: "A verdadeira razão pela qual eu deixei o KORN é que eu estava viciado em drogas e com Deus encontrei uma saída. Eu precisava voltar pra casa e abandonar o mundo dos negócios, e criar minha filha porque ela não tem mãe. A mãe dela brigou com a família e por isso não podia mais cuidar dela. Eu tive de colocar minha vida em ordem e ser responsável. Então esta foi a razão principal. Estou apenas tentando ajudar outras pessoas através do que faço, meus talentos, é o que quero fazer agora. E é isso, o público é menor e dificulta mais, mas para mim isso parece ser o certo a fazer".
Fonte: whiplesh.net

Comentários

  1. Qual o novo single?
    "In the house of the Lord there's no Satan"?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

A partir de agora, estão proibidos os comentários anônimos.

Postagens mais visitadas deste blog

Oficina G3: A melhor banda de rock do Brasil ?!

Oficina G3 é uma banda de rock brasileira que leva aos ouvidos de seus fãs músicas com sonoridade pesada e letras marcantes. Dona de prêmios como o Grammy Latino,  conta com músicos excelentes que fazem o bom e velho rock'n roll de forma marcante.
Eu poderia ser neutro nesse assunto, porém, me sinto no direito de dar minha opinião. (Você não é obrigado a concordar comigo.) Sem dúvidas Oficina G3 é uma das melhores bandas de rock da nossa atualidade. 
Veja o vídeo e tire suas dúvidas:

Desciclopédia: Heavy Metal não é para os fracos

Artigo bem humorado extraído da desciclopédia acerca do Heavy Metal e seus seguidores.Como surge um metaleiro?
A princípio, as pessoas apenas pensam que ele está algum tempo sem tomar banho, ou sem dinheiro pro barbeiro. Mas logo começam a notar sua mudança no estilo de roupas: o nerd passa a usar camisetas pretas com desenhos silkados coloridos e nomes de bandas desconhecidas. Juntando com o cabelocomprido, ele vai lentamente se transformando num ser que teoricamente causa mais medo que um menino feio de óculos. Some-se a isso uma dose pesada de musculação (feita por eles pra agora poder dar porrada nos manosemos e pagodeiro, e playboy, já os emos suas vitimas favoritas, não por mérito do metaleiro, mas pelo fato do emo ficar tão triste com a tentativa do metaleiro de te bater, que acaba cortando os pulsos.), eles tornam-se criaturas quase que aversivas, a não ser para o resto da trupe. Na verdade, ele continua sendo zoado do mesmo jeito - mas agora possui cabelo e as vezes respeit…

Paul Stanley: não é peruca, é Implante Capilar

guitarrista e fundador do KISS, PAUL STANLEY foi perguntado, alguns meses atrás em um artigo para uma revista se ele usava peruca. Paul respondeu que não. Recentemente, Paul tem sido visto pela cidade trajando um novo estilo de cabelo bem curto. Ele fica muito bem assim. Mas olhe bem de perto pras fotos e você poderá ver que Paul de fato tem um tipo de implante capilar no globo. Os sistemas de reposição e implantes capilares de hoje em dia mal são detectáveis e Paul provavelmente está usando um dos melhores que existem. Você não pode culpar Paul por negar que ele usa peruca, afinal, tecnicamente não é uma peruca, é um sistema de aplique capilar. Então tá. Além disso, foi muita grosseria da parte do entrevistador perguntar algo assim, tão pessoal, na caruda para Paul. Eu não sei se essa aterrorizante gravura acima mostrando Paul completamente calvo é verdadeira ou não. De qualquer modo, isso é o que se esperaria que Paul parecesse sem o aplique. Por ter quase sessenta anos de idade, P…